12/03/2019 às 17:33 - Atualizado em 13/03/2019 às 15:38

Projeto Censo Empresarial é tema de reunião entre Fecomércio AP e Sebrae AP

Aline Medeiros

O presidente da Fecomércio AP, Eliezir Viterbino, participou nesta segunda-feira (11) de mais uma reunião com o presidente do conselho deliberativo do Sebrae Amapá, Iraçu Colares, e com dirigentes da instituição para debater tratativas para a viabilidade da realização do Projeto do primeiro Censo Empresarial no Estado.

O projeto do Censo, criado pela Fecomércio AP, pretende ser um divisor de águas dentro do comércio amapaense. A iniciativa irá realizar uma radiografia das empresas locais, tanto as formais quanto as informais, identificando os principais polos e corredores comerciais, bem como as necessidades e tendências de evolução do comércio.

Para dar suporte e dividir a experiência da realização do Censo Empresarial no Estado do Amazonas, a reunião contou também com a participação do técnico do Sebrae Amazonas, Robemar Morais.

No Amazonas o Censo Empresarial foi desenvolvido no ano de 2010, onde realizaram o levantamento das empresas formais e informais de cinco municípios. Segundo Robemar, na capital Manaus, 53 mil empresas participaram do estudo e hoje fazem parte do banco de dados do Sebrae. “Todo o projeto do Censo foi desenvolvido pela equipe do Sebrae, desde a criação do software até a coleta de dados. Nossa intenção, no futuro, é realizar a atualização dos dados”, explicou o técnico.

No Amapá, a intenção é realizar o levantamento das empresas de todos os municípios amapaenses. “Nossa intenção é conhecer a fundo o cenário atual do comércio no Amapá, saber como os empreendedores estão atuando e quais as suas necessidades, para que desta forma possamos ajudar, em parceria com o poder público, a desenvolver a economia local”, afirmou o presidente da Fecomércio AP.

Após conhecerem a realidade do trabalho desenvolvido no Amazonas, a equipe técnica do projeto, composta também pelo diretor técnico do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio AP (IPDC), Erik Rocha, pela economista, Beatriz Cardoso, e dirigentes do Sebrae alinhou novas demandas a serem pesquisadas para formulação do Censo.