10/08/2019 às 14:03

Presidente da Fecomércio AP e Senador Randolfe Rodrigues debatem parceria em prol do setor produtivo

Aline Medeiros

O encontro entre o presidente do Sistema Fecomércio Amapá, Eliezir Viterbino, e o Senador da República, Randolfe Rodrigues, aconteceu nesta sexta-feira (09) na sede matriz da Federação. Com o objetivo de alinhar projetos, que favoreçam a classe comercial no Estado, e buscar apoio na defesa do Sistema S no Congresso Nacional, o presidente da Fecomércio convidou o Senador para uma reunião.

 Na ocasião, foram debatidas pautas como a Lei Geral do Turismo, a Reforma Tributária e a defesa do Sistema S. Segundo o presidente da Fecomércio, a atuação do Sistema em parceria com parlamentares é fundamental. ‘’Nosso objetivo é unir esforços e lutar pelo desenvolvimento econômico do país, e se faz necessário e de vital importância a participação mais próxima do Senador Randolfe’’, explicou Viterbino.

Em conversa com o presidente da Fecomércio, o Senador Randolfe, afirmou que o Sistema S foi uma conquista para o povo brasileiro, pois ele foi fundamental para a construção de uma sociedade mais igualitária no país. ‘’É um absurdo compreender o Brasil sem as instituições do Sistema S. Em decorrência disso, eu estou assumindo o compromisso na construção de uma frente parlamentar em defesa do Sistema no Congresso Nacional’’, disse Randolfe.

Além do compromisso com o Sistema, Viterbino e Randolfe debateram também sobre a Reforma Tributária. O presidente da Fecomércio AP apresentou apoio à medida e disse que a mesma é fundamental para o setor produtivo. ‘’Se nós simplificarmos e desonerarmos o setor produtivo com uma carga tributária mais justa, com certeza conseguiremos ter mais negócios, que durem mais e que empreguem mais’’, afirmou.

Mesmo com o apoio à medida, Viterbino pediu ao Senador atenção para que a Reforma não prejudique Estados do Norte do Brasil, em especial, o Amapá. Em sua concepção, eles devem ser analisados de forma diferente dos demais do país. ‘’Os Estados do Norte como Amapá, Amazonas, Rondônia, Acre e Roraima por estarem mais longe dos centros produtivos como Rio de Janeiro e São Paulo, possuem custos diferentes, pois o Brasil é um país continental. Por isso, defendemos que a Reforma mantenha a Zona Franca de Manaus e as Áreas de Livre Comércio, para que desta forma permaneça a linha de incentivo para os Estados mais afastados e com altos custos logísticos’’, enfatizou Viterbino.

Ao final do encontro, o presidente da Fecomércio AP, que também é vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio, convidou o Senador para participar da reunião da CNC, em Brasília, e realizar uma visita institucional nas unidades do Sistema Fecomércio Amapá Sesc / Senac / IPDC, em Macapá.

Ressaltando a parceria firmada com o Sistema Fecomércio AP, Randolfe confirmou presença nos convites feitos pelo presidente Viterbino e disse que este é o início de uma união de iniciativas e ações em prol do comércio. ‘’Eu saio daqui com um conjunto de tarefas, o primeiro é a defesa implacável do Sistema S. Além disso, tomar a iniciativa no Congresso Federal de propor uma audiência pública juntando os Senadores da Região Amazônica e os dirigentes do Sistema Fecomércio’’, finalizou Randolfe.