08/07/2019 às 10:39

Lojas Francas: uma nova estrutura de comércio na fronteira do Oiapoque

O prefeito da região de Guiana Francesa, Patrice Faure, diz que a reunião Transfronteiriça realizada nos dias 03 e 04 de Julho no Sebrae, terá impactos imediatos na economia da região e destaca maior empenho de cooperação pela parte francesa e uma mudança no horário de funcionamento da ponte binacional, que possibilitará mais tempo de circulação de carga entre os dois países. A conferência reuniu chefes de Estado do Brasil, Guiana Francesa e França.

Entre os assuntos mais importantes da conversa, o vice presidente da Fecomércio, no dado momento, atuando como presidente interino, Jaime Nunes pontuou a implantação das lojas francas na fronteira do Amapá: um projeto que visa criar uma área comercial forte e competitiva na cidade de Oiapoque. O plano vem sendo solidificado entre os países. “Empresas nacionais já sinalizam interesse em ter um espaço nas lojas francas. E a Guiana Francesa também estuda implementar em São Jorge uma área de livre comércio, então nada melhor do que buscarmos formas de viabilizar incentivos do Governo Federal e Estadual e aquecer este empreendimento, fortalecendo o elo entre Brasil/França e Amapá/Guiana”. A lei federal foi aprovada e atualmente está em fase de ultimas tratativas para sua execução.

 

Aeroporto como ponto estratégico

O novo aeroporto, já em funcionamento, planejado em padrão internacional foi apresentado como um ponto de convergência de interesses entre os países que discutiram diversas possibilidades no transporte de carga e ampliação de turismo entre Brasil e Europa.

Conectividade: Plano ambicioso

Um cabo submarino está sendo montado de Fortaleza à Portugal, passando na costa amapaense e Caiena, a inserção do Amapá nesse plano prevê a melhoria da conectividade e comunicação.

Soluções Compartilhadas

O Vice presidente Jaime também afirma que para os próximos anos, o Governo Amapaense e outros mediadores dessa parceria internacional esperam achar empresários e investidores dos dois lados com interesses em comum, e diz que primordialmente não haverá sobreposições de vontades entre os parceiros chegando ao ponto de soluções compartilhadas.

O Amapá na Europa

Waldez Góes, Governador do Amapá, explica o papel do Estado na nova dinâmica entre Brasil e Europa na qual se desenvolverá nos próximos anos, “Uma oportunidade que se abre! O Amapá já dialoga a muito tempo com as entidades comerciais da Guiana Francesa e já tem acordos assinados, e estes atos aconteceram em uma época onde ainda nem tínhamos capacidade de comercializar proteína animal e derivados de leite, antes do acordo Euro-Mercosul. O lado Guianense ainda tem muito receio de que o Amapá cresça demais e enfraqueça as atividades que eles desenvolvem, precisamos nos manifestar publicamente em favor da desconstrução desse pensamento e pensar juntos em um equilíbrio. Se é transporte rodoviário, aéreo, se é relação de comércio e serviços, vamos dar oportunidade aos dois lados.”.

Pontos estratégicos

O sonho do visto livre que possibilitará a transição de cidadãos entre os dois países foi um dos assuntos mais requisitados durante a reunião, “Nosso sonho é que nem haja visto”, disse o Governador Waldez. Os chefes de Estado salientam medidas de estímulo ao consumo na região que sempre ocorreu, mas dessa vez, a parte brasileira visa institucionalizar certas práticas benéficas as quais serão legalizadas enquanto as ilegais terão maior cooperação de combate entre os dois países, como a pesca ilegal.

A próxima reunião Transfronteiriça ocorrerá em dois anos, mas nesse intervalo já existe uma agenda instituída para fortalecer os planos de desenvolvimento da região, tal como a reunião de transporte Amapá e Guiana, prevista para acontecer em Setembro.