31/01/2019 às 13:28

Fecomércio participa de encontro de conscientização sobre o trabalho escravo

Núcleo Integrado de Comunicação

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou na última segunda-feira (28), um encontro com objetivo de divulgar informações acerca da conscientização e prevenção do trabalho escrava no Estado. As entidades parceiras da campanha, Sistema Fecomércio Amapá, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Secretaria de Estado do Trabalho e Empreendedorismo (SETE) e Serviço Social do Transporte, Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest Senat), contribuíram com o momento expondo seus modelos de atuação, e principalmente, dividindo um pouco de suas experiências no que tange assegurar a dignidade humana no ambiente de trabalho.

Para Carmem Cunha, presidente da Comissão Regional de Direitos Humanos da PRF, a participação das instituições que possuem vínculo com a área econômica e empregatícia do Estado é necessária na ação de combate ao trabalho escravo.

“Dentro da PRF nós temos a Comissão de Diretos Humanos que é direcionada a esse serviço de combate, a nossa intenção é evidenciar essa temática e, se possível, erradicar essa prática. Nós temos hoje várias instituições parceiras que ajudam a discutir estratégias de prevenção e conscientização acerca do trabalho escravo”, afirmou Carmem.

Com a realização da campanha, e contando com o apoio dessas instituições empenhadas em esclarecer em que consiste essa prática, e que não se trata somente de algumas infrações trabalhistas, e sim, de um crime contra a dignidade humana, a PRF espera fortalecer as ações de erradicação do trabalho escravo.

“No ano passado, nós tivemos uma experiência com o Ministério Público onde acompanhamos uma operação na Cooperativa de Garimpeiros do Lourenço. Não houve resgate de nenhum trabalhador, mas foram dadas algumas orientações. Essa é a atuação direta da PRF nas situações que já estão instaladas.  Nossa intenção é trazer à luz essas questões para sociedade, é buscar a valorização do trabalho e a dignidade da pessoa humana. O trabalhador precisa ter conhecimento da situação de trabalho a qual está sendo submetido, assim como o empregador.”, conta a presidente.

O diretor do Sistema Fecomécio, Erik Rocha, avaliou a iniciativa da PRF como sendo extremamente importante no processo de conscientização dessa prática. “Nós vemos a importância de conscientizar a população, o empresário, quanto essa questão do trabalho escravo. A Fecomércio como trata das causas do empresariado local e do comércio em si está aberta a discussão, a convites como esse. Também se propõe a ajudar, fazer divulgação, assim como interagir junto a PRF para que essa campanha seja divulgada em todos os campos do Amapá”, disse.

 

Núcleo Integrado de Comunicação