28/10/2016 às 13:00 - Atualizado em 28/10/2016 às 13:00

CNC projeta alta de 2,4% na massa de rendimentos este ano

A taxa de desemprego abriu o ano em 4,8% da População Economicamente Ativa (PEA), de acordo com os dados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) divulgados hoje (20) pelo IBGE – a menor para o mês de janeiro em dez anos. A alta da taxa de desemprego neste mês – que, em dezembro, correspondia a 4,3% da PEA – é um fenômeno sazonal natural do mercado de trabalho decorrente da volta à procura por trabalho por parte da população desocupada no início do ano.

O rendimento das pessoas ocupadas registrou ganho real de 3,6% em relação a janeiro de 2013, em virtude das variações regionais verificadas em Porto Alegre (+7,7%) e no Rio de Janeiro (+7,3%). Na comparação com dezembro, houve avanço de 0,2%. Resultado do comportamento da ocupação e da remuneração média, a massa de rendimentos variou 0,7% sobre dezembro, acumulando, nos últimos 12 meses, alta de 3,3%. Considerando-se as expectativas para o crescimento econômico (+2,2%) e a inflação (+6,0%) em 2014, a massa de recursos provenientes do mercado de trabalho deverá registrar alta de 2,4%, e o desemprego médio deverá fechar o ano em 5,0% da PEA, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O comércio na PME: as regiões metropolitanas de São Paulo (-2,6%) e Rio de Janeiro (-1,0%) foram as maiores responsáveis pelo recuo anual de -0,5% na ocupação no comércio. Na passagem de janeiro para fevereiro a ocupação no setor variou -2,3%, levando a taxa de desemprego média a 2,8%. O salário médio no comércio (R$ 1.610,70) auferiu ganho real de 5,2% em relação a janeiro de 2013.

Análise PME referente a janeiro de 2014 | Download

 

Ascom/CNC